Avenida Paulista ganha reforço policial

A Avenida Paulista, cartão-postal de São Paulo, ganhou um reforço policial que promete reduzir os índices de crimes na região. Há um mês, a 5.ª Companhia (Força Tática), unidade de elite do 7.º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano, funciona numa nova sede, um sobrado da Alameda Ministro Rocha Azevedo, 463, a dois quarteirões da Paulista. A unidade, com 150 soldados e 16 carros, será inaugurada oficialmente neste sábado, às 13h30, pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB). O sobrado foi alugado pela Associação Paulista Viva, a um custo mensal de R$ 18 mil (inclui aluguel, seguro e outras despesas), por tempo indeterminado, e entregue para uso da PM. O presidente da associação, Nelson Baeta Neves, adiantou que a entidade e a PM também têm projeto pronto para colocar nos 3 quilômetros da Paulista de 20 a 30 guaritas, cada uma com um policial. A associação assumirá o custo das cabines, estimado em até R$ 1.400,00 cada, e o governo entra com os policiais. Na inauguração, Alckmin apresentará maquete das guaritas, que devem ser instaladas ainda este ano. Crimes ? Reportagem publicada pelo Estado em 24 de abril mostrou que a violência aumentou na avenida, segundo dados do Infocrim, da Secretaria da Segurança Pública. Ali foram registrados 15 roubos de janeiro a 18 de abril de 2002. O número é igual ao total de casos notificados no ano passado. As ocorrências gerais (inclui crimes e trânsito) na Paulista também aumentaram. Foram 618 casos em 2000, ante os 758 de 2001. Há duas semanas, o restaurante Fasano, na Rua Haddock Lobo, foi invadido por três ladrões, apesar de ter sistema de segurança. É para reduzir esses índices que a Força Tática promete atuar. ?Vamos trabalhar para isso?, disse o comandante da unidade, capitão Jorge Peixoto Frisene. Na sua avaliação, a presença da companhia vai reduzir o total de crimes em toda a região da Paulista. Ele pretende obter resultados imediatos. Frisene ainda não tem um balanço do primeiro mês de funcionamento da Força Tática no novo endereço. ?Daqui um mês já vai dar para ter idéia da eficácia do trabalho.? Por enquanto, o termômetro é o retorno que ele tem recebido das pessoas nas ruas. ?A comunidade está satisfeita. Isso é um sinal de que o pessoal está se sentindo um pouco mais tranqüilo.? Vigilância ? Moradores e pessoas que passam pela região da Paulista afirmaram que a presença da Força Tática afastou os bandidos dos cruzamentos, principalmente à noite. ?Quanto mais policial, é melhor, a gente fica mais tranqüilo?, disse o taxista Paulo Tokio Eto, de 60 anos. Mas há quem ainda esteja desconfiado da medida. ?Acredito que é por causa da eleição, apareceu tudo, é ano eleitoral?, disse o também taxista Euclides Abes, de 62 anos. Ele, no entanto, reconhece que a segurança melhorou na região. ?Se eles forem eficientes, a turma (bandidos) fica com medo. Estou feliz com a proximidade da Força Tática, mas quero esperar para ver o que vai acontecer?, disse a dona de casa Helena Rossi, de 54 anos, moradora da Alameda Jaú. ?Só acho que o problema é tão grave que não é uma unidade que vai resolver.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.