Aviação civil brasileira teve 78 acidentes neste ano

Segundo dados do Cenipa, 62 aviões e 16 helicópteros envolveram-se em acidentes até novembro de 2007

Agência Brasil,

18 de novembro de 2007 | 15h26

A aviação civil brasileira teve neste ano 78 acidentes - 62 envolvendo aviões e 16 com helicópteros, segundo dados do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) atualizados no último dia 8. O índice é o maior registrado desde 1997, quando houve 75 ocorrências. Em 1990, entretanto, ocorreram 188 acidentes. O Cenipa define um acidente aeronáutico "como toda ocorrência relacionada com a operação de uma aeronave", inclusive durante o embarque e desembarque dos passageiros. Para caracterizar o acidente, é necessário ocorrer uma lesão grave ou morte, desaparecimento ou danos à aeronave.  Os acidentes de 2007 deixaram 262 mortos, o maior número verificado pelo Cenipa desde 1990. O desastre com o Airbus A320 da TAM no Aeroporto de Congonhas, na capital paulista, em julho passado, responde pela maioria dessas vítimas. Dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) revelam que 1983 acumulou a maior quantidade de acidentes aeronáuticos na aviação civil do País desde 1979: 421, com 146 mortes. De acordo com a Anac, cujas informações foram atualizadas em agosto, em 2007 aconteceram 60 acidentes, com 245 mortes.

Mais conteúdo sobre:
Aviação civilCenipa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.