Avião "atola" e estraga festa em Caruaru

A cidade fez festa para receber o vôo inaugural da BRA, que aterrisou no Aeroporto Oscar Laranjeira, em Caruaru, às 10h30. Prefeito, autoridades municipais, imprensa, banda de pífanos e cerca de 200 pessoas aguardavam o Boeing 737-300. A alegre recepção, porém, terminou em frustração. O avião "atolou" na área de manobra, quando taxiava para decolar de volta a São Paulo.A banda parou de tocar, o prefeito Antoni Geraldo Rodrigues (PFL) ficou boquiaberto e o povo ao redor não conseguia entender o que se passava: a aeronave estava "grudada" ao asfalto derretido da cabeceira, na entrada da pista. "A resistência do piso cedeu, não teve capacidade de suportar o avião", declarou o comandante Alonso. Todos os funcionários do acanhado aeroporto mobilizaram-se para tentar ajudar. Havia gente com enxada e pá, mas pouco podiam fazer: seria necessário um trator, o que deveria levar no mínimo cinco horas.Era para ser uma festa. Caruaru passaria a receber vôos regulares da BRA diretamente de São Paulo. Mas virou decepção, a começar pelo pouso da aeronave: para marcar a ocasião, o comandante anunciou um vôo rasante sobre a cidade que causou enjôo a diversos passageiros. Alguns chegaram a vomitar.Restava ainda a preocupação dos passageiros que deveriam voltar a São Paulo. "Estou muito chateado, não sei nem se vamos ter direito a almoço", disse o passageiro Antonio Amaro, de 38 anos, que iria embarcar no vôo para São Paulo. Com ele, os demais 145 passageiros foram transportados para Recife, para de lá tomarem outro vôo da BRA. A companhia aérea teve de deslocar outro avião para a capital pernambucana, para "resgatar" os passageiros do vôo 9550, que não saiu do chão. Não há previsão para liberação do aeroporto, tampouco outro vôo comercial, a curto prazo, para Caruaru.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.