Avião cai em Fernando de Noronha e piloto alemão morre

O alemão Frank H. Hettlich morreu na manhã desta sexta-feira, 16, em um acidente ocorrido com o avião bimotor Sêneca, prefixo D-GOMM, que pilotava e que caiu a cerca de 70 quilômetros do arquipélago de Fernando de Noronha. Ele viajava sozinho.O piloto saiu de Natal por volta das 6h30 (horário de Brasília) com destino a Dakar, no Senegal, na África. Às 8h07 (horário de Brasília) comunicou ao Centro de Aeronáutica de Noronha que o motor direito da aeronave estava com problemas e iria tentar um pouso forçado na Ilha. Logo depois o avião desapareceu do radar. Hettlich não conseguiu pousar.Ele era um piloto experiente, que já havia dado a volta ao mundo, acompanhado da mulher, a bordo deste mesmo Sêneca, em agosto e setembro de 2003. Integrava o Earthrounders, um grupo internacional de aviadores solitários que dão voltas ao mundo em aeronaves de pequeno porte.O corpo do piloto foi encontrado morto dentro de um bote salva-vidas - que estava fechado e alagado - perto dos destroços do avião. A causa da morte, se por afogamento ou devido à pancada da queda da aeronave, só será definida com a autópsia. O cadáver foi levado a Noronha pelo Endeavour, um catamarã da empresa de mergulho Atlantis, de Fernando de Noronha, que fez parte das buscas, junto com outras embarcações e dois aviões - um Bandeirantes e um Hércules - da Força Aérea Brasileira (FAB).De acordo com o radioamador André Sampaio, que acompanhou as buscas pelo rádio e ajudou a fazer pontes entre as equipes de busca e a Aeronáutica, a primeira notícia, depois de localizado o corpo do piloto, era a de que ele estava vivo. Logo em seguida, porém, a informação foi retificada pela equipe do Endeavour, que também se encarregou de transportar o bote salva-vidas para Noronha.Esta matéria foi alterada às 18h34 para acréscimo de informações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.