Avião com policiais faz pouso forçado no Mato Grosso

Problema no trem de pouso, que não recolheu, obrigou piloto a voar por cerca de duas horas sobre o aeroporto, diminuindo o combustível no tanque e as chances de explosão na aterrissagem

Solange Spigliatti, Central de Notícias

03 de maio de 2011 | 16h20

SÃO PAULO - Um avião bimotor transportando policiais fez um pouso forçado na manhã desta terça-feira, 3, no Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, no Mato Grosso, por conta de um problema no trem de pouso. Ninguém ficou ferido.

 

A aeronave, de prefixo PT-VEM, do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), havia decolado por volta das 8 horas, com destino a Marabá, no Pará, para buscar um reeducando que irá a júri no Mato Grosso, no próximo dia 11 de maio.

 

Logo após a decolagem, o avião apresentou pane no trem de pouso e não atendeu ao comando de recolher do piloto, o comandante PM César Augusto de Camargo Roveri adotou os procedimentos de acionamento de emergência para baixar e travar o trem.

 

Segundo informações do piloto comandante, capitão Roveri, o bimotor sobrevoou o Aeroporto Marechal Rondon por cerca de duas horas, até acabar o combustível, para reduzir o risco de explosão no momento da aterrissagem. Na quinta tentativa de acionamento do mecanismo de emergência, a aeronave indicou, pelas luzes do painel, que o trem estava baixado e travado.

 

A bordo da aeronave estavam o piloto comandante capitão Roveri, o 2º piloto comandante, capitão BM Flávio Gledson Vieira Bezerra e os investigadores da Polícia Judiciária Civil que atuam na Polinter Fábio Mel Kuezedekue de Souza e Zanil Ferreira Gomes.

Tudo o que sabemos sobre:
mato grossoaviãopouso forçado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.