Cleber Gelio/Midiamax
Cleber Gelio/Midiamax

Avião que levava Angélica e Luciano Huck faz pouso forçado em fazenda de MS

Aeronave seguia de reserva, no Pantanal, para Campo Grande; as nove pessoas a bordo sofreram escoriações e estão em observação

Fabiana Cambricoli e Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

24 Maio 2015 | 13h43

Atualizado às 22h53.

SÃO PAULO - Uma aeronave de pequeno porte que levava o casal de apresentadores Angélica e Luciano Huck fez um pouso forçado em uma fazenda do Mato Grosso do Sul na manhã deste domingo, 24. Estavam a bordo, além de Angélica e Huck, os três filhos do casal, duas babás, o piloto e o copiloto. As nove pessoas sofreram apenas escoriações leves e foram levados para hospitais da região.

O acidente teria sido provocado por problemas na bomba de combustível. A informação foi dada por Lucilene Gonçalves Vaz, de 50 anos, mulher do comandante Osmar Aurélio Frattine Vaz, 52, que pilotava a aeronave. "Ele (Osmar) me disse que uma bomba de combustível falhou. Ele tentou a outra, que falhou também. Por isso, precisou fazer o pouso forçado", disse Lucilene na entrada do Pronto Socorro da Santa Casa.

Os sete passageiros e o piloto foram encaminhados em carros particulares para a Santa Casa de Campo Grande, onde deram entrada pouco depois das 11h (horário de Brasília). Em nota, a assessoria da unidade de saúde informou que "todos foram atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e submetidos a exames de raio-x, tomografia e demais procedimentos, não tendo sido diagnosticado nada grave em nenhum dos pacientes".

Além de Luciano Huck e Angélica, passaram pela Santa Casa os filhos Joaquim, de 10 anos, Benício, de 7, e Eva, com 2. Também foram atendidos o co-piloto José Flávio de Souza Zanatto e as babás Marcíleia Eunice Garcia e Francisca Clarice Canelo Mesquita. O piloto da aeronave foi encaminhado primeiramente para uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) da cidade, mas acabou transferido à tarde para a Santa Casa.

No início da noite, os apresentadores foram transferidos para o Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Transportados por um avião-ambulância, chegaram ao Aeroporto de Congonhas por volta das 21h30. Às 22h45, deram entrada no hospital - foram três ambulâncias. 

Segundo informações da Aeronáutica, o avião, do modelo Embraer 820C, decolou às 10h45 (horário de Brasília) da Estância Caiman, reserva do Pantanal no município de Miranda, e seguiria para Campo Grande, num trajeto de cerca de 230 quilômetros. Com dez minutos de voo, às 10h55, o piloto informou aos controladores de voo uma falha no equipamento e fez o pouso de emergência.

A aeronave aterrissou em uma fazenda próxima a rodovia MS-080, a 30 km de Campo Grande. Logo depois do pouso, um helicóptero da Força Aérea Brasileira (FAB) saiu da base de Campo Grande e seguiu até o local para prestar os primeiros socorros.

Angélica estava no Pantanal gravando o programa Estrelas, que comanda na Rede Globo. Huck acompanhava a mulher no trabalho. Nos últimos dias, os dois postaram fotos do local em suas contas no Instagram.

Segundo informações consultadas no site da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), a aeronave, com matrícula PTENM, estava com a certificação em dia, válida até junho de 2019. O avião pertence à empresa Mato Grosso do Sul Taxi Aéreo Ltda.

A Aeronáutica informou que a equipe do Quarto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes (Seripa 4) saiu de São Paulo ainda pela manhã rumo ao local do acidente para iniciar as investigações do caso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.