Aviões contam com novo equipamento para pousos no Santos Dumont

Aproximação das aeronaves não dependerá de sinais transmitidos por terra em caso de teto baixo

estadão.com.br,

05 de maio de 2012 | 05h01

SÃO PAULO - Após autorização da Aeronáutica, algumas aeronaves comerciais que pousam no Aeroporto Santos Dumont, no Rio, iniciam, neste sábado, 5, a utilização de um equipamento a bordo capaz de, por meios próprios e satélites, guiar os aviões, mesmo em condições climáticas desfavoráveis, até o piloto visualizar a pista de aterrissagem.

 

Mesmo com as nuvens muito baixas, encobrindo o Pão de Açúcar e parte do Morro da Urca, os pilotos poderão passar, por exemplo, entre o Corcovado e o Morro Santa Marta, para chegar até a pista do aeroporto. A utilização deste equipamento vai agilizar os pousos, economizando combustível das aeronaves e, ao mesmo tempo, diminuindo o tempo em que o aeroporto fica fechado.

 

Em nota, o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), afirma que " fundamentados na navegação baseada em performance (satélite e performance de bordo), esses procedimentos, chamados de RNP AR (Required Navigation Performance with Authorization Required), permitirão uma aproximação mais estável, com menos ruído e em condições ainda mais adversas de teto e visibilidade."

 

Segundo ainda o Decea, "a validação dos procedimentos ocorreu em um moderno simulador de voo do Boeing 737-800, capaz de reproduzir as condições de terreno e o cenário que circunda o Aeroporto Santos Dumont." O departamento afirmou também que "além dos elaboradores de procedimento do Decea e pilotos inspetores do GEIV, participaram desta validação técnicos da Anac, pilotos da Gol Linhas Aéreas e profissionais da GE/ Naverus, empresa contratada pela companhia aérea para assessorá-la no projeto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.