Avó e neto que faziam delivery drogas em MG são presos

Polícia prendeu quadrilha - 11 pessoas da mesma família - suspeita de ser uma das principais do tráfico

Ivana Moreira, especial para O Estado de S.Paulo

10 Fevereiro 2009 | 16h59

Depois de dois meses de investigação, a polícia mineira conseguiu prender uma quadrilha suspeita de ser uma das principais responsáveis pelo tráfico de drogas na região do Vale do Jequitinhonha, no norte de Minas Gerais. Foram presos 12 integrantes da quadrilha, todos membros da mesma família. A avó, Maria da Silva, de 75 anos, e o neto caçula, de apenas 10 anos, eram responsáveis pela entrega em domicílio de maconha e crack.   A quadrilha familiar mora no município de Pedra Azul, que fica próximo à divisa com a Bahia e a 720 quilômetros de Belo Horizonte. Segundo informações do delegado da cidade, Alberto Tadeu de Oliveira, a quadrilha de traficantes de droga era liderada por Maurício Marcos da Silva, filho de Maria da Silva. Estão envolvidos no esquema de tráfico de drogas na região os pais, irmãos, cunhados e sobrinhos de Maurício.   A família foi presa quando recebia, na segunda-feira, um carregamento de 26 quilos de maconha e um quilo de crack, vindos de Salvador. O neto de 10 anos, cujo nome foi mantido em sigilo, foi encaminhado ao Conselho Tutelar. Os outros onze membros da família - sete mulheres e cinco homens - estão presos na cadeia de Pedra Azul. A polícia investiga se a quadrilha dos Silva tem ramificações em outros Estados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.