Avó entra com pedido no STF para que S. G. seja ouvido

Para ela, vontade do menino deve ser considerada na questão; julgamento do caso acontece hoje

Priscila Trindade, da Central de Notícias,

16 de dezembro de 2009 | 15h23

A avó materna do menino norte-americano S. G., Silvana Bianchi, protocolou na última segunda-feira, 14, um pedido de habeas corpus preventivo para que o neto fique no Brasil. O pai biológico briga na Justiça para ficar com o filho nos Estados Unidos.

 

Segundo o Supremo Tribunal Federal (STF), onde o pedido foi protocolado, a avó quer que a justiça tome depoimento do menino para que ele diga se tem vontade de deixar o país com seu pai biológico ou se prefere ficar no Brasil, onde moram o padrasto, avós maternos e a irmã.

 

Hoje, o Tribunal Regional Federal da 2ª Região analisará a apelação do padrasto de Sean, que tenta reverter a transferência do garoto para os EUA. O pedido da avó será analisado pelo ministro Marco Aurélio.

 

O CASO

 

Em junho de 2004, a brasileira Bruna Bianchi Carneiro Ribeiro, mãe do menino, deixou o marido, David Goldman, para fazer uma viagem de férias com o filho, de apenas quatro anos, ao Brasil. Eles viviam em New Jersey, nos Estados Unidos. Ao desembarcar no País, Bruna telefonou ao marido avisando que o casamento entre os dois estava acabado e que não voltaria aos Estados Unidos com o filho.

 

Após a separação, teve início a briga pela guarda do garoto na Justiça. Bruna se casou pela segunda vez no Brasil, mas morreu no parto do segundo filho, em 2008.

Tudo o que sabemos sobre:
Sean Gondman

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.