Avó presa até conseguir dinheiro e pagar a pensão da neta

Eva Nazário Vianna, de 68 anos, ganha R$ 410,00 por mês. Mas tem até o dia 12 deste mês para conseguir R$ 516,00 e pagar a pensão alimentícia de sua neta de 15 anos. Caso não consiga esta quantia, poderá ser transferida de sua casa , no bairro Operário, em Montenegro, onde mora, para o Presídio Feminino Madre Pelletier, em Porto Alegre, convivendo com detentas com crimes como roubos e assassinatos. O drama de Eva comoveu até a oficial de Justiça Márcia Alves, de 34 anos, que foi à sua casa comunicar a decisão da juíza Romani Dalcin, do Fórum de Triunfo, que deu a sentença: "Legalmente está correta a decisão. Mas é um absurdo essa senhora ficar presa. Muitas vezes a decisão fica longe da mesa do juiz". Com uma renda mensal de R$ 410,00, a pensionista está sendo cobrada porque seu filho, o marinheiro Luiz Carlos Vianna, 45anos, está desaparecido desde 1990. A última notícia que se tem dele, de 1998, é que estaria morando em Tocantins. Comogasta R$ 200,00 só com medicamentos para tratar de seus problemas com angina, arteriosclerose e gastrite, ela não consegue manter em dia as contas de água, luz e mercado (R$ 126,00).Desde o nascimento, foi Eva, viúva há 18 anos, quem tomou conta das netas. Depois do retorno de uma hospitalização em Porto Alegre, ela avisou à mãe das meninas (só a mais nova ainda tem direito), que não teria mais condições de sustentá-las.A juíza Romani Dalcin, que logo após a sentença não deu declarações e viajou em férias. Sem a sua ordem, Eva não pode sair de casa, o que, segundo a sua filha de criação Maria Teresa da Rosa, 47 anos, a deixou muito abalada: "É um absurdo, pois ela ganha bem menos do que tem que pagar. Esta prisão, mesmo sendo domiciliar, a deixou muito humilhada e envergonhada".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.