BA: empresário é acusado de homicídio culposo em morte de 9 em queda de elevador

Segundo a delegada, Martinez será acusado de imprudência, imperícia e negligência no caso

Tiago Décimo, O Estado de S. Paulo

23 Setembro 2011 | 15h30

SALVADOR - O proprietário da Construtora Segura, Manoel Segura Martinez, vai ser indiciado por homicídio culposo (sem intenção de matar) no caso da queda do elevador de uma obra de Salvador que despencou de uma altura de 60 metros, matando os nove operários que estavam no equipamento, em 9 de agosto.

Divulgado na manhã desta sexta-feira, 23, pela delegada Jussara Souza, da 16ª delegacia, o laudo pericial do Departamento de Polícia Técnica (DPT) sobre a ocorrência apontou falhas técnicas e na manutenção do equipamento, além de descumprimento das normas reguladoras da construção civil.

De acordo com o documento, entre as irregularidades encontradas, estão uma roldana partida, peças não originais, guincho e freios desgastados no equipamento que caiu. Além disso, não foi entregue à perícia o livro de inspeção do elevador, que deveria conter todos os procedimentos de manutenção do equipamento, e o funcionário que trabalhava na operação do equipamento não tinha qualificação técnica para a função.

Segundo a delegada, Martinez será acusado de imprudência, imperícia e negligência no caso. Se condenado, o empresário pode ser sentenciado a até três anos de prisão. "A pena pode ser acrescida em um ano por inobservância de regra técnica da profissão, como prevê o artigo 121 do Código Penal", acrescenta Jussara.

O inquérito aguarda a chegada dos laudos das necropsias das vítimas, previstos para os próximos dias, para seguir para o Ministério Público. A empresa ainda não se pronunciou sobre a divulgação do laudo pericial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.