Bahia abre o carnaval com homenagem a João Ubaldo

Um animado João Ubaldo Ribeiro, cujo livro de maior sucesso "Viva o Povo Brasileiro" foi usado como tema do carnaval baiano deste ano, arriscou uma dançadinha no palanque oficial na Praça do Campo Grande durante a nada formal entrega da chave da cidade ao Rei Momo na noite de quinta-feira. "Estou me sentindo consagrado, isso é uma alegria indescritível", disse o escritor. O evento abriu o carnaval de Salvador e contou ainda com a presença do ministro da Cultura, Gilberto Gil, que se recusou a falar sobre a crise na sua pasta.Depois que o Rei Momo deu a partida do carnaval, o músico Carlinhos Brown, fantasiado de faraó, comandou o grupo Zárabes e fez um ritual de abertura dos caminhos para que haja paz na festa. Em seguida, 120 dançarinos e músicos da África do Sul convidados pela prefeitura de Salvador se apresentaram com danças tribais. Vários blocos e trios elétricos animaram os foliões até a madrugada de hoje no centro e na orla marítima.Quando os dois circuitos ficaram vazios, quase no inicio da manhã, os funcionários da limpeza pública tiveram tempo para limpar as avenidas e prepará-las para o segundo dia da festa que começou com os desfiles dos blocos infantis Happy, Pé de Moleque e Chocollat no final desta manhã.ViolênciaApesar das festas, o início do carnaval de Salvador foi marcado pela violência com o registro de três mortes nas áreas dos desfiles. No circuito Dodô, na orla marítima, o estudante Felipe Santos Moreira, de 13 anos recebeu uma facada no pescoço durante uma tentativa de assalto, quando voltava para casa. Chegou morto ao Hospital Geral do Estado.Na mesma região, um homem de identidade desconhecida sofreu uma convulsão quando brigava e acabou morrendo. Na Praça da Piedade, centro da cidade, Elisângela Brito da Cruz, de 21 anos, também foi esfaqueada no pescoço por uma mulher que brigava com outros foliões e não resistiu ao ferimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.