Baianos homenageiam Iemanjá

Mesmo num dia normal de trabalho na capital baiana, mais de dez mil pessoas se dirigiram nesta quinta ao Bairro do Rio Vermelho, na orla, para participar da Festa de Iemanjá, a única do calendário do verão baiano, organizada exclusivamente por integrantes do candomblé e pescadores.A festa começou de madrugada, com uma oferenda a Oxum, rainha das águas doces no Dique do Tororó. O amanhecer teve queima de fogos de artifício e entrega dos presentes (cerca de 400 balaios de vime) ofertados a "rainha das águas".Ao longo do dia, pais e mães de santo de três descendentes de três nações africanas importantes na história da Bahia - a Ketu, a Gegê e a Angola - realizaram rituais com muitos batuques na Praia da Paciência, de onde, no final da tarde, cem embarcações saíram transportando os balaios com os presentes para serem oferecidos, no mar, a Iemanjá. Os participantes da festa costumam dar perfumes, flores e bijuterias a orixá, tudo para agradar uma mulher vaidosa. Paralelamente às homenagens, milhares de pessoas se esbaldam nas barraquinhas de comidas e bebidas armadas no Rio Vermelho para a festa, que continuará até a madrugada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.