Baleada, Priscila pode sair do hospital até o fim de semana

A garota Priscila Aprígio da Silva, de 13 anos, poderá deixar o hospital até o fim de semana. Segundo boletim divulgado no começo da tarde desta terça-feira, 6, pelo Hospital Alvorada o quadro de paraplegia (paraplegia crural motoro sensitiva) permanece inalterado. A nota é assinada pelo diretor clínico do hospital, Guilherme Monteiro.Na quarta-feira, 28, ela levou um tiro durante um assalto ao Banco Itaú, na Avenida Ibirapuera, zona sul de São Paulo. A família de Priscila está preocupada com a possível alta da adolescente. Isaías Joaquim da Silva, pai da menina, teme que a sua recuperação fique comprometida com a decisão, pois a casa onde a família mora não oferece estrutura para atendê-la, além de não ter sido definido um programa de fisioterapia e de acompanhamento para ela.A menina conversou com o Estado, no fim da tarde de segunda-feira, 5, pelo telefone. Demonstrou ter consciência de que poderá ficar paraplégica definitivamente, mas reiterou que não vai perder a esperança e vai se esforçar na fisioterapia. "Além da família, dos amigos e Deus, a minha auto-estima é muito boa e eu nunca me deixo abater", disse. "Tenho muita fé, esperança em voltar a andar, mas, independentemente disso, meus estudos não vou abandonar jamais", afirmou Priscila, que sonha ser enfermeira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.