Renato da Silva /instagram @renato_portobelodrone
Renato da Silva /instagram @renato_portobelodrone

Balneário Camboriú realiza obra para aumentar faixa de areia da praia

Espaço da orla vai crescer de 25 metros para 70 metros; projeto, que deve ser concluído em outubro, prevê evitar que sombra de prédios atrapalhem banhistas

Fábio Bispo, Especial para o Estadão

28 de agosto de 2021 | 17h52

FLORIANÓPOLIS - A promessa do prefeito Fabrício de Oliveira (Podemos) é que no próximo verão as sombras dos arranha-céus de Balneário Camboriú, em Santa Catarina não vão mais atrapalhar o banho de mar na praia central. Até outubro, o município pretende concluir o maior aterramento de praia já feito na América Latina.

As obras de alargamento, cujo contrato é de R$ 66,8 milhões, foram iniciadas em março. O projeto prevê aumento de 25 metros de largura para 70 metros até outubro, conforme a previsão da gestão local. A prefeitura organizou um evento para a chegada da draga que vai retirar material do fundo mar aumentar a faixa de areia.

Na praia, homens e máquinas farão o trabalho de espalhar a areia nova, que, no primeiro momento será escura, mas a medida que vai secando terá tonalidade natural. A obra é realizada pelo consórcio binacional DTA Engenharia, brasileira, e da belga Jan De Nul. “Trouxemos para Balneário Camboriú a draga mais moderna do mundo, a mesma que fez as palmeiras de Dubai e o Canal de Suez”, afirmou o prefeito. 

De acordo com Oliveira, parte da obra (estudos e projetos) foi custeada pela iniciativa privada, por meio do Instituto + BC. O restante foi financiado e poderá ser amortizado com verbas de outorgas cobradas dos empreendimentos na praia que já tem um dos metros quadrados mais caros do País.

Em contrapartida, o município promete uma ampla área de lazer totalmente revitalizada, à beira-mar, para a população. Aos empreendedores, a administração municipal afirma que o anúncio da obra já trouxe valorização para os empreendimentos locais. Especialistas veem com ressalvas projetos de dragagem e alargamento de praia, diante dos riscos para a fauna e flora local. 

 

Tudo o que sabemos sobre:
praia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.