Bancária é seqüestrada com a família

Uma funcionária da agência central da Nossa Caixa de Taubaté, foi vítima de seqüestro na madrugada desta sexta-feira. O nome da bancária e de seus familiares foi mantido em sigilo pela polícia a pedido do banco. Ela, o marido e três filhos foram rendidos quando chegavam em casa.Quatro homens encapuzados ameaçaram as vítimas e os levaram para um cativeiro em São José dos Campos. Em uma casa na zona rural, a família foi ameaçada durante toda a madrugada. "Eles chegaram a fazer uma ´roleta russa´ para definir quem morreria primeiro", contou o delegado Paulo Roberto Rodrigues.Quando amanheceu, os seqüestradores amarraram os três filhos em um dos cômodos da casa e colocaram microcâmeras e microfones no corpo da bancária e de seu marido. Os dois foram levados para a agência de Taubaté, onde ficaram sendo monitorados até as 11h. Segundo o delegado, eles diziam que através do microfone e da câmera impediriam que ela acionasse a polícia.Como o carro-forte atrasou para chegar com o dinheiro ao banco os bandidos acabaram desistindo da ação, com medo de serem presos. Por volta das 13h30, os filhos do casal foram libertados em São José dos Campos, no bairro Limoeiro.Eles estavam andando por uma rua do bairro quando encontraram uma viatura da Polícia Militar e pediram socorro. Só depois que os filhos foram levados de volta para Taubaté, a bancária acionou a polícia. O resgate de 400 mil reais exigido pela quadrilha não foi pago.

Agencia Estado,

02 de agosto de 2002 | 22h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.