Bancário é a única vítima do acidente da Gol que falta ser identificada

Das 154 vítimas do acidente com o Boeing da Gol, ocorrido no dia 29 setembro, no Mato Grosso, uma ainda não foi identificada: o bancário Marcelo Paixão Lopes, de 29 anos. "Não perdemos a esperança. Acreditamos que, a qualquer momento chegue a notícia de que o corpo dele foi identificado, para que possamos fazer o funeral", afirmou o tio do bancário, Antonio Cláudio de Araújo.Há informações da família de que um material está sendo submetido à análise no Instituto médico-legal (IML) de Brasília. O teste, feito a partir da comparação do DNA, pode ficar pronto até esta sexta-feira, 20. O bancário viajava na companhia de Francisco das Chagas Moura Loiola, de 44 anos, e Eduardo Ribeiro de Souza, de 42 anos, todos funcionários do banco HSBC. O corpo de Loiola foi o primeiro a ser identificado. "Há também a possibilidade de que equipes de resgate encontrem algo, no local do acidente. A expectativa é grande. Só não é maior do que a nossa tristeza com o ocorrido", completou o tio.

Agencia Estado,

19 de outubro de 2006 | 19h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.