Bancário que atropelou ciclistas vai para juri popular no RS

Homem atropelou 17 pessoas; ainda não há data definida para o julgamento.

Gheisa Lessa,

15 Junho 2012 | 15h17

São Paulo, 15 - O bancário, Ricardo José Neis, acusado de atropelar deliberadamente 17 ciclistas no ano passado em Porto Alegre, vai ser julgado em júri popular conforme determinação da juíza Carla Fernando de Cesaro, divulgada na última quinta-feira, 14.

De acordo com informações do Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP-RS), ainda não há data para o julgamento.

Cerca de 17 pessoas ficaram feridas no dia 25 de fevereiro de 2011, no Bairro Cidade Baixa, em Porto Alegre, durante um evento de ciclistas.  Conforme denúncia do Ministério Público, os ciclistas foram atropelados pelo bancário, que estaria tentando passar pela rua no momento do evento.

No dia 1º de março do mesmo ano, a prisão de Neis foi decretada, mas ele estava internado no Hospital Psiquiátrico Parque Belém. Já no dia 11 do mesmo mês, uma nova decisão determinou que ele fosse removido para o Presídio Central, onde ficou até o dia 7 de abril. Em abril de 2011, Ricardo Neis foi liberado por habeas corpus concedido pela 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça.

Na decisão, a juíza Carla Fernando de Cesaro destacou que a tese da defesa afirma que uma atitude agressiva do grupo teria levado o motorista ao desespero, o que teria feito o homem acelerar o carro contra os ciclistas.

Cesaro afirma, segundo informações do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) que não é possível excluir que a ação de Neis teve a intenção de matar, o que o dispensaria do julgamento pelo Júri. Já o MP-RS, em sua acusação, afirmou que Neis dificultou quaisquer reação dos ciclistas, uma vez que as vítimas estavam de costas quando o veículo avançou sobre elas.

O TJ afirma que 15 testemunhas de acusação foram ouvidas além das 17 vítimas e cinco testemunhas de defesa.

Mais conteúdo sobre:
atropelamento de ciclistas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.