Bancários davam golpe em empresas

A Polícia Federal prendeu hoje o escriturário Odinelson Honório, funcionário do Banespa em Paranaguá, no litoral paranaense, acusado de dar um golpe de R$ 4 milhões em empresas. Segundo a polícia, ele contava com a ajuda do supervisor de caixa Adalberto Zara e de pelo menos um funcionário de uma empresa de despachos aduaneiros, ainda não identificado.De acordo com o delegado Evaristo Kuceki, Honório simulava o pagamento de impostos. Fora de horário de expediente, ele usava uma máquina de autenticação para os recibos, enquanto os cheques eram depositados na conta corrente de um "laranja", que denunciou o golpe para a Polícia Federal. Pelas invesitgações, pelo menos oito empresas de Santa Catarina e São Paulo foram lesadas.O "laranja" dava cheque em branco assinado e o dinheiro era utilizado para compra de dólares ou depositado na conta de uma tia de Honório. O homem que denunciou o golpe disse que recebia 10% dos valores retirados da conta e acreditava ter recebido cerca de R$ 100 mil. No entanto, para o delegado, o golpe rendeu R$ 4 milhões para Honório.Alberto Zara responderá este processo em liberdade. Honório foi preso a pedido da polícia, por terem sido encontrados em sua casa um passaporte, US$ 11.300 e pedidos de visto australiano e norte-americano. Também foram encontrados um automóvel Polo seminovo e uma moto Kawasaki. Honório era funcionário do Banespa havia 13 anos e tinha salário de R$ 1.300 por mês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.