Bancários fiscalizam "lei da fila" em Salvador

Várias agências bancárias da capital baiana não cumpriram a lei municipal que obriga os bancos a atenderem os clientes em, no máximo, 15 minutos. Sancionada em 16 de agosto, a lei entrou em vigor hoje, e seu cumprimento foi acompanhado por um comando do Sindicato dos Bancários da Bahia que percorreu o centro de Salvador, constatando que em agências da Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e Bradesco os clientes esperavam muito mais de 15 minutos para serem atendidos. Para marcar o evento, os bancários levaram dez relógios-despertadores e, nas agências, marcavam o tempo estipulado pela lei. Quando o alarme tocava, os sindicalistas pediam que os clientes que ainda não haviam sido atendidos levantassem a mão. Dezenas o fizeram. Um formulário padronizado foi distribuído pelos sindicalistas aos clientes que se sentiam prejudicados com o atraso, para ser preenchido com a reclamação. "Vamos encaminhar à prefeitura de Salvador, para que providências sejam tomadas", informou Álvaro Gomes, presidente do Sindicato dos Bancários. Pela lei, o banco que não cumprir o prazo de 15 minutos receberá uma advertência, seguida de multas. Na quinta reincidência, a agência poderá perder o alvará de funcionamento. Os bancários assinalam que o bom atendimento é um direito dos clientes e, se isso não vem ocorrendo, é porque os bancos demitiram milhares de empregados nos últimos anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.