Banco desmente que agência destruída estivesse com R$ 3 milhões no cofre

Nenhum banco trabalha com essa quantia, diz assessroia; clientes serão atendidos em agências no entorno do local do desabamento

Solange Spigliatti, da Central de Informações

27 Janeiro 2012 | 11h59

A assessoria do Banco Itaú Unibanco desmentiu nesta sexta-feira, 27, que a agência bancária atingida pelo desabamento de três prédios, na Avenida 13 de Maio, no Centro do Rio, na noite de quarta-feira, 25, estivesse com cerca de R$ 3 milhões dentro do cofre.

Segundo a assessoria do Banco Itaú, nenhuma agência trabalha com uma quantia tão grande como a da versão divulgada hoje em sites. Um levantamento sobre a quantia guardada no cofre da agência está sendo feito, segundo a empresa.

Em nota, o banco explica que representantes do setor administrativo estão no local acompanhando os trabalhos do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e demais autoridades e vão adotar as providências cabíveis e necessárias.

Não há registro de que havia funcionários e nem sequer clientes do banco na agência de número 0607 - 13 de Maio, que não tinha hall de atendimento com caixas eletrônicos 24h. O funcionamento da agência encerrou-se às 16h.

Segundo a nota, a partir de hoje, os clientes desta agência afetada serão atendidos pelas 11 outras unidades que funcionam no entorno, em um raio de no máximo 300 metros de distância da avenida 13 de maio.

Mais conteúdo sobre:
desabamento, rj

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.