Banco é condenado a indenizar cliente negro

A Justiça condenou o Banco Santander (ex-Noroeste) a indenizar um cliente negro que foibarrado na porta automática e ofendido por seguranças, no dia 14 de maio de 1997, na agência da Praça Embaixador Pedro de Toledo, em Santo André, no ABC paulista. O Santander ainda não tinha comprado o Noroeste na época.A decisão é do juiz José Luiz Silveira de Araújo, da 6ª Vara Cível de Santo André. Ivo Miguel Alves deve receber 100 salários mínimos atuais - R$ 20 mil. O Santander informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não comenta casos queestão sub júdice. O banco pode recorrer ao Tribunal de Justiça (TJ).De acordo com a sentença, testemunhas confirmaram que Alves foi ofendido pelos seguranças. Segundo a ação, movida pelo advogado Ademar Gomes, a porta com detector de metais travou, e Alves foi obrigado a levantar até as pernas das calças e asmangas da blusa para provar que não carregava nenhuma arma.Teve de ouvir ainda que "pessoa de cor e nordestino" tinham de ser tratados desta forma por determinação do banco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.