Banco terá de indenizar ex-funcionário vítima de seqüestro

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) confirmou o pagamento de indenização de cerca de R$ 400 mil, por danos morais, a um ex-tesoureiro do Banco do Brasil que foi vítima de seqüestro e cárcere privado. Depois, o bancário foi feito refém em assalto à agência bancária onde trabalhava. O crime aconteceu em novembro de 1997, quando o bancário trabalhava na tesouraria da agência do BB no município baiano de Itabuna. Ele foi seqüestrado numa via pública e mantido em cárcere privado junto com a mulher e os filhos. Após sofrer ameaças de morte durante toda a noite, ele foi levado, no dia seguinte, à agência onde trabalhava. Lá, ele foi obrigado a abrir o cofre, de onde os criminosos retiraram uma grande quantia em dinheiro.O caso provocou a aposentadoria do bancário por invalidez. Ele passou a apresentar quadro irreversível de ansiedade e depressão, com ataques de pânico. O quadro levou-o a entrar com uma ação trabalhista, na qual pediu a responsabilização do BB pelos danos sofridos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.