Bancos pedem ao novo governo programa de modernização

Uma nota distribuída pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) prega para o novo governo, eleito no domingo, um programa de modernização da infra-estrutura brasileira. "É urgente para o objetivo de crescer sem solavancos. Nossas estradas, ferrovias, aeroportos e o setor energético, por exemplo, precisam ser reformados e atualizados para o Brasil entrar na era da economia global. Como uma empresa, o governo deve tratar de estabelecer metas de crescimento, gastar menos e ampliar as receitas", diz a nota.Diz ainda o comunicado dos bancos que faltam tarefas a cumprir e a agenda é bem conhecida: "É preciso insistir em um novo elenco de reformas, a começar pela tributária. A economia precisa reduzir seus custos para produzir mais e ampliar a base da arrecadação fiscal. A reforma trabalhista também é vital para que as empresas produzam novas vagas de emprego", diz a Febraban.Segundo ainda a nota da entidade, "os bancos, exercendo o papel de promover a intermediação financeira, serão cruciais nesse processo de busca do crescimento econômico e da modernização do País", salientando ainda que o sistema bancário trabalha com a expectativa de contribuir ativamente nesse processo, patrocinando o aumento do volume de crédito disponível, com segurança, e "lançando novos instrumentos que viabilizem os investimentos produtivos". A nota da Febraban é assinada pelo seu presidente Márcio Cypriano.

Agencia Estado,

30 de outubro de 2006 | 09h13

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõeseleições 2006

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.