Bancos podem ter voltado a ser alvo do crime

O crescimento do número de assaltos a bancos nos últimos dias pode estar revelando uma nova tendência. Depois do reforço no combate aos seqüestros e seqüestros-relâmpago, as quadrilhas especializadas podem ter voltado a atacar as instituições financeiras.O delegado da Divisão Anti-Seqüestro (DAS), Antonio Olim, acredita que pode estar havendo uma migração para o crime de assalto a banco. ?Ainda não há dados sobre isso, mas as pessoas que antes realizavam assalto a bancos e em seguida migraram para o seqüestro, hoje podem estar retornando para o roubo às agências bancárias?, afirma Olim.Segundo o delegado, houve intensificação no combate ao seqüestro por parte de todas as polícias, inclusive na DAS. Isso provocou uma redução desse tipo de crime. No mês de setembro, 24 pessoas foram seqüestradas. Desde o início do mês de outubro até esta segunda-feira, o número caiu para seis.Ainda é cedo para dizer, segundo o DeicPara o diretor do Deic, Godofredo Bittencourt, porém, é muito cedo para que essa associação seja feita. Primeiro porque, segundo ele, os casos recentes correspondem a um curto período ? insuficiente, portanto, para afirmar que houve um crescimento de fato. ?Em segundo lugar, nenhuma quadrilha presa confirmou essa ?migração??, disse Bittencourt.Novos casos nos últimos dias, no entanto, reforçaram essa tese. Quinze bandidos roubaram neste domingo dois caixas eletrônicos do Banco do Brasil que funcionavam dentro do Shopping Eldorado, na zona oeste de São Paulo. Uma mulher teria atraído os seguranças para o local onde os caixas estavam, onde os criminosos aguardavam armados. Após render os seguranças, fugiram, levando os caixas em duas Kombis.ArmadilhaPor volta das 21h deste domingo, uma mulher disse a um dos seguranças do shopping que um homem a seguira quando saía do caixa eletrônico. O segurança foi até o primeiro subsolo ? onde ficam os caixas ? acompanhado de alguns colegas, para ver se havia algum problema. Ao chegar lá, foram rendidos.Como a mulher desapareceu, a polícia acredita que ela é membro da quadrilha. Há suspeita de que os seguranças tenham sido obrigados a carregar os caixas até as Kombis ? cada um pesa 500 kg. O caso foi registrado no 15º DP, no Itaim Bibi. O Banco do Brasil não revelou a quantia que havia nos caixas.Momentos de terrorClientes de três bancos também passaram por momentos de terror em tentativas e assaltos na manhã desta segunda. Dois bancos na zona norte e um na zona oeste foram os alvos dos bandidos. Nas três ocorrências, R$ 49 mil foram roubados, uma vítima foi baleada, um bandido foi preso e seis tiros disparados pelos assaltantes.Às 10h20 desta segunda, a agência do Banco Bradesco na Rua dos Pinheiros, zona oeste, foi invadida por quatro bandidos armados. Eles renderam os vigias e roubaram o revólver de um deles. Os assaltantes fugiram com R$ 9 mil, e o caso foi registrado pelo delegado Marcos de Moura, no 14º DP.EmpresárioCinco minutos depois, na zona norte, o empresário e dono de uma rede de postos de gasolina, Fernando Isao Hagui, de 40 anos, entrava no Banco Itaú da Avenida Engenheiro Caetano Álvares, Água Fria, quando foi rendido por quatro homens em duas motos.Eles queriam os R$ 40 mil que Isao iria depositar. Os bandidos dispararam duas vezes contra o empresário. Baleado no ombro e na mão, ele foi socorrido por policiais militares no PS do Mandaqui e não corre risco de morrer.Sua mulher contou à polícia que todas as semanas um dos irmãos deposita valores altos. O caso foi registrado no 20º DP. Na mesma região, às 10h40, na agência da Caixa Econômica Federal da Rua Doutor Zuquim, em Santana, o vigilante Edvaldo Rodrigues, de 35 anos, tentou furtar R$ 100 de um funcionário do banco.Desarmado, ele ficou ao lado do funcionário quando ele fazia um saque. Quando o dinheiro saiu do caixa, ele pegou e saiu correndo. Um PM à paisana estava no banco e prendeu o vigilante. Edvaldo foi autuado por tentativa de furto.Três assaltos em outubroEm outubro, três assaltos destacaram-se na capital e Grande São Paulo. No primeiro dia do mês, dois homens invadiram uma agência da Nossa Caixa Nosso Banco, que fica dentro do Complexo Ferroviário de Presidente Altino da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) em Osasco. Eles levaram R$ 72 mil.No dia 18, três homens, usando armas de brinquedo, levaram R$ 7.100 do Banespa, na Avenida Sumaré. Já no dia 31, foram roubados R$ 96 mil da agência Nossa Caixa Nosso Banco da Avenida Paulista.

Agencia Estado,

04 de novembro de 2002 | 21h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.