Bandidos e vigias de comboio trocam tiros na Marginal

Criminosos tentaram roubar carga de remédio avaliada em R$ 1,5 milhão; ladrões conseguiram fugir

Bruna Ribeiro, O Estadao de S.Paulo

20 Julho 2009 | 00h00

Criminosos e seguranças particulares trocaram tiros, após uma tentativa de roubo a um caminhão, na Marginal do Tietê, 50 metros depois da Ponte da Casa Verde, na pista sentido Rodovia Ayrton Senna, às 6h40 de ontem. O veículo era o 7º de uma frota de 11 caminhões, que transportavam remédios de Barueri para Vitória, no Espírito Santo. A mercadoria, avaliada em cerca de R$ 1,5 milhão, era a mais cara do comboio. Os sete assaltantes conseguiram fugir. Na fuga, roubaram o carro de um motorista que passava pela pista local da Marginal. Os três carros utilizados no assalto, dois Fox chumbo e um Gol prata, fecharam um outro Gol prata, que fazia a segurança do caminhão da transportadora Cargo Soft. "Quando os assaltantes tentaram fechar o veículo, brequei e eles acabaram batendo um atrás do outro", disse o agente da escolta Marcelo Leonardo Ferreira, de 37 anos. A partir daí, os quatro ladrões que estavam nos dois últimos veículos iniciaram o tiroteio. Os três que viajavam no carro da frente partiram em direção ao caminhão, um Mercedes. Os assaltantes desceram do veículo e abriram a porta do caminhão, que foi automaticamente travado por um sistema de segurança. "Quando eles perceberam que o assalto não daria certo, decidiram fugir", afirmou Ferreira. Três dos assaltantes abordaram um homem que passava pela Marginal. "Eles vieram armados e pararam o meu carro (Gol cinza). Quando abri a porta, eles já me puxaram", contou a vítima, que não quis se identificar. "É uma sensação de impotência e revolta muito grande." O veículo foi encontrado no Jaguaré, zona oeste. A delegada Karla Teixeira, do 2º Distrito Policial (Bom Retiro), onde o caso foi registrado, disse acreditar que o crime tenha sido cometido por quadrilha especializada. Os ladrões utilizaram carros da mesma cor e modelo. "Isso também é uma estratégia de quadrilhas, para confundir." Segundo ela, ficou claro que o interesse era aquele caminhão específico, por causa do valor da carga." A policial explicou que o veículo foi abordado em um ponto neutro da Marginal, onde o rastreador não o localiza por causa das árvores. A perita Cíntia Moreno, do Instituto de Criminalística(IC), disse que ninguém ficou ferido no tiroteio. "Não encontramos nenhum vestígio e nenhuma marca de sangue." Uma das balas atingiu a touca de um dos seguranças da escolta. Dois dos três veículos utilizados no assalto e uma submetralhadora, com 28 cartuchos intactos, foram abandonados no local. Um deles, o Fox, havia sido roubado. De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), duas faixas da Marginal do Tietê, sentido Ayrton Senna, ficaram interditadas até as 11h10.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.