Bandidos explodem cofre de agência do BB no Maranhão

Grupo estava fortemente armado e estrutura do prédio ficou destruída; eles também teriam agido no TO e PA

Fabiana Marchezi e Wilson Lima, estadao.com.br e O Estado de S.Paulo

09 de dezembro de 2008 | 11h36

Um grupo explodiu o cofre de uma agência do Banco do Brasil na madrugada desta terça-feira, 9, no município de Governador Archer, a cerca de 350 km de São Luís, no Maranhão. De acordo com informações iniciais da Polícia Civil, com a explosão, a estrutura do prédio ficou destruída. Os cinco homens levaram R$ 15 mil.   Segundo o superintendente de Polícia Civil do interior do Maranhão, Joviano Furtado, por volta das 2h30, cinco homens fortemente armados chegaram ao local do assalto em um gol branco, sem placa, dando tiros para o alto. Os tiros chamaram a atenção de um vigilante da prefeitura de Governador Archer, que estava próximo da agência e de um outro morador da cidade. Os dois foram mantidos como reféns durante o assalto.   O grupo arrombou a porta da agência e explodiu o cofre do banco. A Polícia ainda não sabe se foi utilizada bomba de fabricação caseira ou dinamite. A explosão destruiu parcialmente a agência e uma loja de eletrodomésticos vizinha ao local do assalto. Durante a fuga, os cinco homens liberaram os reféns na saída do município e atearam fogo no veículo utilizado no assalto. Ainda conforme a Polícia, eles continuaram a fuga em um outro automóvel.   A polícia foi ao local, mas ainda não tem pistas dos assaltantes. Segundo Joviano Furtado, existe a possibilidade de que o assalto tenha sido cometido pelo mesmo grupo que assaltou recentemente agências bancárias do Tocantins e Pará. "O modo de atuação é muito semelhante", disse.   Esse foi a segunda ação semelhante em assaltos a banco Maranhão em 2008. Em fevereiro, o cofre de uma agência do Banco do Brasil em São Domingos do Maranhão também foi explodido e, assim como aconteceu nesta madrugada, os bandidos igualmente atearam fogo no veículo em que estavam e fizeram um vigilante como refém.   "Pode ser que tenha alguma relação até porque São Domingos é município de responsabilidade da delegacia de Presidente Dutra, assim como em Governador Archer", especulou Furtado. Apenas uma pessoa teve sua prisão preventiva decretada pela Justiça, mas teve que ser liberada por falta de provas três meses após ser detida.   Atualizada às 15h18 para acréscimo de informações  

Tudo o que sabemos sobre:
explosãoroubo a bancoMaranhão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.