Bandidos incendeiam dois ônibus em Vitória

Dois ônibus foram incendiados na Grande Vitória entre a noite de segunda-feira e a madrugada de terça-feira. Com litros de gasolina, bandidos invadiram os veículos em Vitória e Vila Velha e, num deles, queriam queimar os passageiros. Os ataques teriam sido comandados por presos do sistema penitenciário capixaba que deixaram dois bilhetes com os motoristas, contendo exigências, como o retorno de presos transferidos e a saída do juiz Carlos Eduardo Ribeiro Lemos, da Vara de Execuções Penais. O primeiro ataque ocorreu na rodovia Serafim Derenzi no bairro Inhanguetá, em Vitória, às 23h50 de segunda-feira. Um homem armado entrou no ônibus da linha 213, da Viação Grande Vitória, próximo à Praça de Santo Antônio, bairro vizinho a Inheguetá. Ele estava com uma bolsa na mão e ficou na parte da frente, sem girar a roleta. Três pontos depois, ele tirou uma garrafa plástica da bolsa e começou a espalhar no chão do ônibus, dizendo que iria atear fogo no veículo. Além do motorista e do cobrador, outros 20 passageiros estavam no ônibus e foram impedidos de sair pelo bandido. Com uma arma na mão, ele obrigou o motorista a continuar dirigindo e a não abrir a porta. Desesperado, o motorista freou o ônibus e entrou em luta corporal com o bandido para salvar os passageiros. "Ele já tinha riscado o fósforo e o ônibus já estava em chamas quando o motorista freou e o bandido caiu no chão, ele empurrou o cara e abriu a porta para as pessoas saírem", disse o encarregado de tráfego da viação Grande Vitória Joaquim Roberto Alves. "Eu fiquei desesperado, puxei o manete do carro e ele caiu, empurrei ele e passei por cima dele correndo", disse o motorista de 39 anos, que não será identificado por questão de segurança. Quase duas horas depois, três homens armados entraram num ônibus que fazia a linha de Coqueiral de Itaparica ao Terminal Dom Bosco. Eles entraram num ponto na 1ª etapa de Coqueiral de Itaparica, giraram a roleta - sem pagar a passagem - e poucos minutos depois anunciaram o incêndio. Eles seqüestraram o ônibus, mudaram a rota e entraram na rua Itaúnas. Mandaram o motorista parar em frente a orla e roubaram o dinheiro do trocador. Antes de atear fogo, os bandidos deixaram os 13 passageiros descer e deixaram um bilhete ao motorista com reivindicações de presos.

Agencia Estado,

28 Fevereiro 2006 | 21h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.