Bandidos liberam crianças, mas mantêm ainda três reféns em Belo Horizonte

Sequestradores teriam exigido a presença da Polícia Federal para se entregarem

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

05 Junho 2012 | 03h41

SÃO PAULO - Um casal de bancários e uma funcionária da família, segundo o Centro de Coordenações da Polícia Militar (PM), permanecem reféns de bandidos desde as 18 horas de segunda-feira, 5, num dos apartamentos do edifício nº 540 da Rua Democrata, no bairro Fernão Dias, em Belo Horizonte, capital mineira.

 

Duas meninas, de 2 e 4 anos, filhas do casal, foram liberadas pelos criminosos na madrugada desta terça-feira, 5, confirmou a PM, que cerca o local com homens do 16º Batalhão e do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate). Agentes do Departamento de Operações Especiais (Deoesp), da Polícia Civil, também estão em frente ao prédio.

 

Segundo a PM, os bandidos teriam exigido a presença da Polícia Federal para se entregarem e o fariam apenas pela manhã. Até as 3h30 desta madrugada, segundo a PM, não havia sinalização alguma de que agentes federais se deslocariam até o prédio. A imprensa permanece distante do edifício.

 

No final da noite, os bandidos exigiram que o bancário estende-se um lençol na rede de proteção instalada na varanda como forma de dificultar a visão de quem está fora do apartamento. A família foi rendida no final da tarde de segunda-feira, 4, por bandidos que trajavam camisetas da Polícia Civil. Uma testemunha estranhou a ação dos supostos policiais e acionou a PM.

 

Acredita-se que a intenção dos criminosos era utilizar as vítimas para conseguir assaltar a agência bancária onde o casal trabalha. A PM não sabe informar o número certo de bandidos que estão no apartamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.