Bandidos mantêm mãe e filha reféns em Campinas

Dois homens invadiram a casa por volta das 7 horas; terceiro refém foi libertado

Agencia Estado

15 de junho de 2007 | 02h51

Mãe e filha eram mantidas reféns desde às 7 horas desta quinta-feira, 14, por dois homens que invadiram uma casa no Jardim Eulina, em Campinas. A casa na rua Francisco Vivaldi Júnior foi cercada pela Polícia Militar da cidade. Eles invadiram a casa e fizeram ao menos três pessoas reféns; a invasão ocorreu, segundo a Polícia Militar, quando um dos moradores, um aposentado de 65 anos, estava na garagem de sua residência, na periferia da cidade. Um dos reféns foi liberado entre 10 e 11 horas da manhã, mas a mulher e filha do aposentado continuavam dentro da residência.O Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) da PM, de São Paulo, estava no local a pedido da PM de Campinas. Os policiais negociavam com os suspeitos, que já mencionaram a possibilidade de se entregar. Um dos suspeitos, que se identificou para a polícia como João, pediu a presença de jornalistas e emissoras de tevê no local. Segundo a polícia, o refém libertado chegou a falar que os suspeitos prenderam objetos ao corpo de sua filha. A polícia não confirmou se seriam explosivos.Há dois meses, a cidade foi centro das atenções por ter registrado o mais longo seqüestro do Estado de São Paulo, em que uma mulher e seus filhos foram mantidos reféns por 56 horas, em residência no Jardim Campos Elíseos, também periferia do município. O seqüestro terminou com a libertação dos reféns e a prisão do seqüestrador. Texto ampliado às 11h33 para acréscimo de informações(Colaborou Paulo R.Zulino.)

Tudo o que sabemos sobre:
seqüestroCampinas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.