Bandidos voltam a atacar bases e delegacias em SP

Bases e delegacias da Grande São Paulo, do litoral e do interior voltaram a ser atacadas pelo Primeiro Comando da Capital (PCC). No total, foram cinco atentados. Na capital paulista, onde houve reforço nas unidades, não ocorreram problemas entre a noite de sábado e madrugada de domingo.No Guarujá, às 4 horas, uma bomba explodiu na base da Polícia Militar no bairro Santa Rosa e destruiu a moto de um soldado. O fogo também alcançou o telhado e a estrutura de alvenaria do prédio.Em outro atentado, desta vez em Santos, dois homens numa moto jogaram uma bomba embaixo de um Santana estacionado na frente do 4.º Distrito Policial, por volta das 23h30. Com a explosão, o carro da Polícia Civil ficou destruído.Em Barueri, na Grande São Paulo, quatro homens num Tempra deram vários tiros em dois carros da Guarda Civil Municipal, às 22 horas. O ataque ocorreu perto do Shopping Tamboré. A polícia perseguiu os responsáveis pelo atentado, que abandonaram o carro no Rodoanel Mário Covas.Por volta da meia-noite, ocupantes de um carro deram tiros na base da Polícia Militar em Limeira. Um carro e uma moto de policiais foram atingidos. O soldado que estava na cabine se abaixou e não foi ferido.Outro atentado ocorreu no 3.º Distrito Policial, em São José dos Campos. Um homem atirou uma bomba, que explodiu e atingiu três carros da polícia. Os veículos foram parcialmente destruídos.Na noite de sexta-feira, o secretário da Segurança Pública, Saulo Abreu, havia defendido que é preciso isolar os chefes das organizações criminosas. "É a velha solitária." Ele ainda prometeu "endurecer ainda mais" a luta contra o crime. O comandante da PM, Alberto Rodrigues, mandou uma mensagem para os militares: "Precisamos estar cada vez mais fortes."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.