Bando ataca prédio de luxo em Jundiaí

Um grupo de 15 homens armados com pistolas automáticas e metralhadoras invadiu, na noite de quinta-feira, o edifício de luxo Mediterranée, em Jundiaí (a 60 quilômetros de São Paulo). No prédio moram o prefeito, Miguel Haddad (PSDB), e o ex-prefeito Ary Fossen (PSDB). Fossen e a mulher, Marialice, ficaram sob a mira dos bandidos, assim como ao menos outras cinco famílias. Haddad e as duas filhas não estavam no prédio na hora do arrastão. De acordo com a assessoria do prefeito, a primeira-dama, Maria Rita Haddad, estava em casa, mas o apartamento não chegou a ser invadido pelos criminosos. Ninguém ficou ferido e ainda não há pistas dos criminosos.De acordo a Polícia Civil de Jundiaí, o grupo entrou no prédio pela garagem, por volta das 17h30, aproveitando a abertura do portão por um morador. Logo passaram a deter quem chegava de carro e fazer reféns. Depois, parte do grupo subiu com as famílias até os apartamentos para roubar o que encontravam. Os criminosos levaram joias, celulares, itens eletroeletrônicos e dinheiro. O prefeito e o ex-prefeito não comentaram o caso ontem.O diretor do Departamento de Polícia Judiciária do Interior (Deinter-2), Kleber Altale, disse que foi a maior ação criminosa feita nas 38 cidades da região pelo menos desde 2006. "Claro que já vimos assaltos a apartamentos, mas não com 15 pessoas fortemente armadas, que certamente tinham estudado o local", afirmou.Segundo os vizinhos, os homens usavam rádios para se comunicar, mas não estavam mascarados. Para não serem identificados, os suspeitos levaram o microcomputador em que ficavam registradas as imagens captadas pelo circuito de câmeras de segurança. "Um caso dessa natureza é uma situação nova para o interior, mas a polícia tem meios e gente para combater esse tipo de ação", afirmou o diretor do Deinter-2. Ainda nesta sexta-feira, a Polícia Civil ouviu moradores para tentar fazer o retrato falado dos assaltantes, que fugiram em dois carros de moradores, posteriormente abandonados.NÚMEROSDe acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública, o número de roubos na área do Deinter-2 foi praticamente o mesmo no quarto trimestre de 2007 e no quarto trimestre de 2008. Houve 26.432 casos na capital, 15.721 no interior e 3.712 na região de Campinas, em 2007. No ano passado, os números de roubos caíram para 24.039 na capital, 15.518 no interior, e 3.711 na região do Deinter-2.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.