Bando é descoberto por erro de grafia e preso

Oito homens e uma mulher que iriam roubar um prédio em Alto de Pinheiros, zona oeste, mas um erro de português fez o bando terminar na cadeia. Para entrar no condomínio, os ladrões se passariam por entregadores de cesta de Natal - no Fiat Doblò, estava escrito Impório Santa Maria Ltda. Os assaltantes eram monitorados desde setembro, e a polícia sabia que eles usariam uma minivan na ação. A grafia errada chamou a atenção dos policiais.Foram presos anteontem Adriano Gonçalves, de 34 anos; José Edson Rodrigues das Chaves, de 32; Fernando Lima Martins, de 28; Ivo Alves Quinzinho, de 27 anos; Wagner Campos, de 35; Fernando Romano, de 31; Roberto Carlos Martins, de 36, e Leonardo Carneiro dos Anjos, de 25. Com eles, foram apreendidos dois fuzis, metralhadora, pistolas, coletes à prova de bala, munição e celulares. Segundo a polícia, eles iriam roubar o condomínio Ilhas do Sul, na Rua Padre Pereira de Andrade, com a ajuda de Benedita da Silva Nascimento, doméstica de um dos apartamentos. Benedita, de 44, foi presa ontem.A polícia começou a monitorar o grupo em setembro, quando aconteceu o assalto à Protege, na zona oeste. Os ladrões presos anteontem fizeram parte do bando de 60 homens que levaram R$ 15 milhões, maior roubo do ano.Parte do dinheiro roubado sumiu misteriosamente. Ontem, em depoimento, dois dos oito presos confirmaram o desaparecimento. "Os ladrões estão brigando entre si. Ninguém sabe onde foi parar parte do dinheiro", disse o delegado Ruy Ferraz Fontes, titular da Delegacia de Roubo a Bancos. No dia do roubo, R$ 5,1 milhões foram encontrados em três carros. Nem a polícia sabe quanto do resto sumiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.