Bando faz 5 reféns, assalta dois bancos e foge no Pará

Cerca de 30 homens encapuzados e armados com fuzis AR-15, escopetas e submetralhadoras assaltaram duas agências bancárias da cidade de Redenção, no sul do Pará, fugindo com dinheiro e cinco reféns depois de trocarem tiros com policiais militares e civis. Vinte pessoas, a maioria clientes, saíram feridas. Todas foram atendidas em hospitais da cidade. Um militar foi atingido no abdome e se encontra em estado grave. O comandante da Polícia Militar de Redenção, major Cordeiro, negou a existência de mortos no tiroteio, como inicialmente chegou a ser anunciado. Militares dos batalhões de Marabá, Redenção e uma tropa de elite do Comando de Operações Especiais (COE), de Belém, foram mobilizados para tentar capturar os assaltantes. Os bandidos estariam tentando cruzar a fronteira do Pará com os estados de Mato Grosso e Tocantins, segundo a polícia.O professor Frederico Sá, de 26 anos, estava na Avenida Brasil, local do assalto, e presenciou o que definiu como "cenas de ousadia e crueldade" dos bandidos. Enquanto dentro das duas agências bancárias o assalto acontecia, na rua uma parte do bando apontava suas armas para a cabeça de 50 reféns, entre estes cerca de dez policiais militares. Vários clientes passaram mal, outros gritavam, pedindo para ser soltos. Ao gritos, os assaltantes agrediram várias pessoas. Uma delas levou um soco no rosto. Outras duas foram jogadas contra a vidraça do Banco do Brasil, saindo feridas com cortes profundos. No mês passado, um assalto idêntico levou pânico aos clientes das agências bancárias de Tucuruí, no sudeste do Estado. Duas pessoas saíram feridas. Os quinze bandidos levaram R$ 1,5 milhão. Parte do bando já foi presa. Um dos líderes do assalto era um ex-cabo da Polícia Militar do Pará.

Agencia Estado,

02 de maio de 2003 | 17h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.