Bando faz arrastão em condomínio de luxo em São Paulo

Em uma ação ousada e bem planejada, quinze homens fortemente armados entraram em um condomínio de luxo, às 18h30 desta quarta-feira, na Rua Bela Cintra, Jardins, zona sul de São Paulo.De acordo com a polícia, no arrastão, os assaltantes roubaram quinze dos dezoito apartamentos do prédio e fugiram, duas horas depois, com jóias e dinheiro dos moradores. Na cobertura do edifício, mora o apresentador João Kleber, da Rede TV!, que também foi assaltado.Para a polícia, o arrastão foi articulado por uma quadrilha especializada. O bando clonou veículos dos moradores. Chegaram ao prédio dirigindo carros com as mesmas cores e placas: um Vectra, um Meriva e um Zafira.Depois de entrarem no edifício pela garagem, dois criminosos invadiram a guarita blindada e renderam o porteiro. Enquanto isso, os outros treze integrantes da quadrilha se dividiram entre a garagem e os andares do prédio. Alguns deles ficaram parados próximos à porta do elevador no térreo, esperando novas vítimas que entrassem pela portaria. Os moradores que chegavam de carro eram rendidos na garagem.Sob a mira de revólveres, o porteiro foi obrigado a descrever a profissão e a rotina de cada morador. Por radiocomunicador, a dupla de ladrões na guarita passava as informações para os comparsas. Quatro seguranças de uma empresa privada também foram rendidos nas dependências do prédio e foram imobilizados com algemas de plástico. De acordo com vítimas que não quiseram se identificar, os ladrões não foram violentos, avisaram que não machucariam ninguém, mas em todos os momentos exigiam dólares, euros e jóias.Fuga"Eles estavam preocupados em ir embora, antes do horário de pico no trânsito", disse uma das vítimas. "Eles foram até simpáticos e conversaram sobre todos os assuntos", contou outra moradora rendida pela quadrilha. De acordo com o delegado, Mauro Facchini, apesar de o bando ter quebrado uma câmera da guarita, o arrastão foi filmado. "Eles não estavam encapuzados e, agora, vamos investigar todas as imagens para tentar identificá-los".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.