Bando invade casa, rouba e espanca jovens

Dois menores foram presos com objetos das vítimas; grávida teve aborto

Monica Bernardes, RECIFE, O Estadao de S.Paulo

30 de março de 2009 | 00h00

Um grupo de nove jovens - com idades entre 21 e 35 anos - viveu momentos de terror na madrugada de ontem, na Ilha de Itamaracá, município do litoral norte de Pernambuco. Após serem surpreendidas por três rapazes armados na casa de veraneio onde passavam o fim de semana, as vítimas foram agredidas, humilhadas e ameaçadas por mais de duas horas. Uma das cinco mulheres do grupo, grávida de dois meses, foi levada para um hospital após os assaltantes irem embora, mas perdeu o bebê. Dois dos agressores, ambos de 16 anos, foram presos horas após o crime. De acordo com o relato das vítimas à polícia, os assaltantes pareciam estar sob efeito de drogas e agiram com muita violência. "Eles chegaram de repente, quando estávamos na frente da casa ouvindo música. Nem sei como conseguiram entrar, mas quando percebemos já estavam com as armas nas nossas cabeças. Um deles, que parecia ser o líder, dizia o tempo todo que iria matar todo mundo. As meninas entraram em desespero. Cada vez que tentávamos defender uma das meninas eles partiam com mais força para cima de nós", afirmou um dos jovens agredidos durante o depoimento na delegacia. Revoltados, parentes da estudante que perdeu o bebê dizem que a falta de segurança da ilha é um dos principais facilitadores para a ocorrência de crimes no local. Nos arredores da ilha estão instaladas duas unidades prisionais estaduais. O governo tem projetos para a retirada de um presídio e de uma penitenciária agrícola do local, que já foi um dos principais balneários de Pernambuco.Moradores reclamam de constantes assaltos na ilha, especialmente nos fins de semana. "Não há segurança. Estou cansado de ver assaltos a qualquer hora do dia. A maior parte das casas de veraneio já foi arrombada", lamentou o comerciante Paulo Lima. A estudante - que não quer ter a identidade revelada - recebeu chutes e foi atingida com uma coronhada de revólver na testa, o que causou um corte profundo na cabeça.Segundo policiais da delegacia da ilha, dois assaltantes foram presos por policiais militares a menos de dois quilômetros da casa, com pertences das vítimas, entre eles celulares, câmeras digitais, anéis e dinheiro. A dupla foi encaminhada à Gerência de Polícia da Criança e do Adolescente (GPCA). O terceiro assaltante continuava foragido até o fim da noite de ontem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.