Bangu 3: Secretário afirma que presos não conseguirão fugir

A Secretaria de Administração Penitenciária do Rio informou há pouco, em nota oficial, que prosseguem as negociações com o grupo de presos amotinados na penitenciária Dr. Serrano Neves (Bangu 3) desde as 11 horas da manhã de hoje. O motim começou quando agentes do Serviço de Operações Externas (SOE), que se preparavam para a apresentação de alguns internos em juízo, foram rendidos por alguns presos e tiveram suas armas tomadas. Segundo a secretaria, até as 15h50 os detentos não tinham apresentado nenhuma reivindicação objetiva, ?demonstrando apenas a intenção de obter fuga pela porta da frente.? O secretário de Administração Penitenciária, Astério Pereira dos Santos, afirmou que os presos não conseguirão fugir. ?A segurança em todo o Complexo de Bangu foi reforçada. Bangu III está cercada por policiais militares e agentes do Serviço de Operações Externas (SOE). Além disso, as guaritas e o telhado do estabelecimento estão sob a guarda do SOE?, disse. Entre os reféns - nas primeiras informações seriam 2, mas o número ainda não foi confirmado - há membros da equipe médica da unidade, funcionários que realizavam obras de reforma no local e mulheres de presos que estavam lá para a visita íntima. A nota oficial confirma que o agente Luís Cláudio Lima Bonfim, ferido com um tiro na barriga e outro na perna, morreu no Hospital Rocha Faria, em Campo Grande. Estão feridos os agentes Pedro Wallace da Silva, com ferimento na mão esquerda, causado por estoque, e Ronaldo Barbosa de Souza, baleado de raspão nas costas. Os dois foram atendidos no Hospital Albert Schweitzer e liberados. As negociações, que estão sob a responsabilidade de um tenente-coronel da Polícia Militar, são acompanhadas pelo subsecretário de Unidades Prisionais, coronel Francisco Spargoli. A penitenciária Bangu III tem capacidade para 896 presos e abriga hoje 781.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.