Barbara Bush diz que está ?amando? viagem ao Rio

Barbara Bush, mãe do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, viveu nesta segunda-feira mais um dia de turista na cidade. Bateu várias fotos no Corcovado, deu uma volta de microônibus pela orla do Flamengo a São Conrado, experimentou o churrasco-rodízio brasileiro e disse estar amando sua viagem ao Rio de Janeiro. ?I love it?, disse ela, ao responder a uma pergunta sobre o que estava achando da visita ao Rio, iniciada na madrugada do sábado.Gritos, em tom de brincadeira, de ?Bin Laden?, em referência ao terrorista saudita que virou inimigo número 1 dos EUA, chegaram a ser ouvidos, na saída do Hotel Copacabana Palace, mas não houve incidentes. O almoço foi em uma churrascaria no Aterro do Flamengo que tem vista para o Pão de Açúcar, e as carnes preferidas por ela foram carneiro, picanha, costela e cupim.Ela tomou uma limonada que lhe foi oferecida como ?caipirinha sem álcool?, e, de sobremesa, pediu creme de manga. Barbara saiu depois para uma volta em um microônibus pela cidade, que passou pela praia de Botafogo, pela Lagoa Rodrigo de Freitas, que cheirava mal devido à mortandade de peixes, e pela orla entre Copacabana e São Conrado, seguindo depois para o Corcovado, onde fica a estátua do Cristo Redentor.Não subiu, porém, a escadaria que dá acesso ao monumento, preferindo permanecer no nível mais alto do estacionamento, observando a vista. Durante a volta de microônibus, a mãe do presidente americano cruzou com uma batucada no Leblon e passou perto de um bloco de frevo em Ipanema. Quando a comitiva de dez carros estava deixando a Praia de São Conrado e começava a subir a Av. Niemeyer, houve uma implosão em uma obra próxima, e um policial federal chegou a botar o rosto e uma metralhadora para fora do veículo onde estava.Em vários momentos do passeio, ela acenou para pessoas que também acenavam, de longe, para ela. Mas, quando estava dentro do trenzinho que leva ao Corcovado, chegou a perder a paciência com um turista brasileiro que a chamava insistentemente do lado de fora da estação e fez um sinal para que ele saísse. Alguns outros turistas também perderam a paciência, não propriamente com ela, mas com as medidas de segurança que a fizeram ?furar a fila? do trenzinho e os carros de sua segurança provocarem engarrafamento na estrada de acesso ao Corcovado.?Essa velha não podia ter ido passear em Michigan? Olha o engarrafamento que ela fez?, gritou uma mulher que subia a pé a parte final da estrada para o Corcovado. ?Ela tem tanto direito de estar aqui como nós temos, tudo bem que venha, mas não devia atrapalhar?, disse o economista Márcio Domenici, que mora em Foz do Iguaçu (PR). No Corcovado, ele gritou ?Ei, Barbara!.? para ver se a mãe do presidente americano se virava e ele conseguia fotografar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.