Barca com 300 passageiros pega fogo no Rio de Janeiro

Um incêndio deixou a barca Imbuí a deriva com mais de 300 passageiros por 40 minutos na Baía de Guanabara, na manhã desta terça-feira, no Rio de Janeiro. A embarcação fazia o trajeto entre o Terminal Hidroviário do Cocotá, na Ilha do Governador, na zona norte do Rio e a Praça XV, no centro da cidade. De acordo com os passageiros, uma fumaça negra saía da casa de máquinas e os funcionários chegaram a vestir os coletes salva-vidas. "Imediatamente, todos os passageiros começaram a pegar os coletes também. Usamos os celulares para pedir socorro. Mais um incidente com barcas e ninguém faz nada. Acho que estão esperando morrer alguém para tomar providências", declarou a secretária Márcia Pereira Ribeiro. Um bote da Capitania dos Portos, um da Polícia Militar e uma lancha do Corpo de Bombeiros acompanhava o resgate dos passageiros, feito por uma barca. O incidente aconteceu no momento em que a barca contornava a Ilha D´Água. Após a espera, os passageiros foram resgatados por outra embarcação. Ninguém ficou ferido. Nervosos, os passageiros usaram apitos para protestar na Praça XV onde uma mulher foi detida por desacatar um policial militar. Este foi o terceiro incidente com barcas em menos de quinze dias no Rio. Na última segunda-feira, a barca Visconde de Moraes, que fazia o trajeto Ilha de Paquetá-Rio, ficou à deriva por mais de uma hora após pane no motor. No dia seguinte, a barca Ipanema, que levava 300 passageiros do Rio para Niterói, enguiçou quando atracava no píer. A empresa Barcas S.A. , que explora a concessão de linhas para transporte de passageiros pela Baía de Guanabara, ainda não se manifestou sobre o caso. Texto alterado às 10h57 para acréscimo de informações.

Agencia Estado,

03 Abril 2007 | 09h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.