Barco que monitora tubarões volta ao mar em Pernambuco

Considerado uma das principais ferramentas dos pesquisadores para estudar e evitar os ataques de tubarões no litoral pernambucano, o barco Sinuelo voltou nesta quinta-feira, 13, para o mar. Alugado pelo Departamento de Pesca da Universidade Federal de Pernambuco, é usado para monitorar a presença de tubarões na costa do Estado.A embarcação estava em terra há duas semanas, quando o convênio entre a Prefeitura do Recife e o Governo do Estado foi encerrado. Preocupados com o mais recente ataque de tubarão, no último domingo, na praia de Piedade, no município de Jaboatão dos Guararapes, representantes das administrações estadual e municipal reuniram-se na quarta-feira, em caráter emergencial e anunciaram a retomada do convênio.A última vítima de tubarões foi o caminhoneiro catarinense José Ivair, que perdeu parte da panturrilha e do tornozelo esquerdos e permanece internado no Hospital Getúlio Vargas (HGV). Ele se recupera bem mas não há previsão de alta. O barco partiu, no final da manhã, do Cabanga Iate Clube e ficará no mar por cinco dias. Durante esse período, segundo os especialistas, serão distribuídos dois espinhéis no trecho de mar entre Boa Viagem e Piedade e na praia do Paiva, no Cabo de Santo Agostinho. O coordenador do Comitê de Monitoramento de Incidentes com Tubarão (Cemit), Fábio Hazin, comemorou a retomada das atividades do Sinuelo e enfatizou a importância do projeto. "O trabalho que realizamos em alto-mar é essencial para estudarmos os hábitos e as causas dos ataques. Sem esse monitoramento, é quase impossível tomar medidas que garantam a segurança dos banhistas", afirmou. Nos últimos 13 anos, o Corpo de Bombeiros registrou 46 ataques, com 17 mortes no litoral pernambucano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.