Barjas Negri irá à Justiça contra Lula por acusação em debate

O prefeito de Piracicaba, Barjas Negri (PSDB), disse nesta segunda que vai interpelar judicialmente o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), candidato à reeleição, pelas referências que fez ao seu nome durante o debate de domingo na TV Bandeirantes. Quando respondia a uma pergunta do seu concorrente, Geraldo Alckmin, do PSDB, sobre a corrupção no governo, Lula completou a resposta com uma pergunta sobre a suposta ligação do ex-ministro da Saúde, Barjas Negri, com o caso dos vampiros e "transações obscuras". Negri ocupou o cargo quando o então ministro José Serra deixou o Ministério para concorrer à presidência, em 2002, no final do governo de Fernando Henrique Cardoso. O atual prefeito, que assistiu ao debate, disse que o presidente mostrou-se ´destemperado´. Ele disse não entender porque foi citado. "Se ele se referia à questão dos sanguessugas, o Ministério da Saúde nunca comprou ambulância na nossa gestão. Os convênios eram feitos com as prefeituras e as fraudes noticiadas pela imprensa teriam ocorrido nos municípios." Negri disse que o presidente foi ´infeliz´ ao tentar transferir o problema da corrupção para o governo anterior. "Estou conversando com meus advogados para que façam uma interpelação judicial, a fim de que ele explique o que são as tais transações obscuras." De acordo com o prefeito, caso a resposta não seja satisfatória, serão tomadas outras medidas. "Se for o caso, vamos entrar com uma ação por danos morais."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.