Barracos desabam em Santos e granizo atinge interior

Temporal causou tumultos na Baixada, mas não deixou feridos; Sorocaba e Campinas tiveram alagamentos

REJANE LIMA, JOSÉ MARIA TOMAZELA e TATIANA FÁVARO, O Estadao de S.Paulo

09 de setembro de 2009 | 00h00

A ventania de 84 km/h e as chuvas de ontem causaram estragos em toda a Baixada Santista. Houve queda de árvores em Santos, São Vicente, Guarujá e Cubatão, atrapalhando o trânsito. Com a ressaca, o mar chegou até o calçadão da orla de Santos e também na Praia do Gonzaguinha, em São Vicente. Na Praia Grande, a ressaca atingiu o Canto do Forte.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a maior parte das ocorrências foi para a retirada de árvores caídas. A tempestade não deixou feridos. Em São Vicente, dois barracos desabaram parcialmente no Sambaiatuba e no Dique das Caixetas e duas casas ficaram destelhadas no Catiapoã e na Vila Margarida.

Equipes da Defesa Civil municipal providenciaram a ida dos moradores para abrigos.

A travessia das balsas entre Santos e Guarujá ficou interditada entre 7h e 7h30. Uma embarcação que saiu do Guarujá antes disso demorou 45 minutos para atracar em Santos, pois teve sua rota desviada por causa da maré agitada.

Nas praias de Santos, barraqueiros e ambulantes tiveram prejuízos, com toldos e cadeiras de praia destruídos pelos ventos.

Após o sol de anteontem, a expectativa era de que o movimento na praia fosse grande ontem por causa do feriado municipal, quando Santos celebra o dia de sua padroeira, Nossa Senhora do Monte Serrat. Entretanto, a chuva atrapalhou inclusive a homenagem à santa. A missa campal que seria realizada na frente da catedral foi transferida para dentro da igreja. A procissão que levaria a imagem de Nossa Senhora de volta à capela no alto do Monte Serrat acabou cancelada. A imagem deveria voltar para o monte de bondinho, às 17h, sem a procissão de fiéis pelas escadarias.

Durante a manhã, a procissão percorreu apenas ruas do centro de Santos, entre a catedral e a prefeitura, onde o bispo dom Jacyr Francisco Braido renovou os votos da padroeira da cidade. Normalmente realizada nas escadarias da prefeitura, este ano a bênção aconteceu no saguão do paço municipal por causa da chuva.

SOROCABA

Um temporal acompanhado de vento e granizo assustou os moradores e causou estragos, ontem, em Sorocaba. A chuva forte fez com que o nível do Rio Sorocaba subisse rapidamente, causando inundações. As águas atingiram trechos da Avenida Dom Aguirre e cobriram a Praça Lions. Também houve alagamentos na Avenida Carlos Reinaldo Mendes. Veículos que tentaram passar sofreram panes. A empresa municipal Urbes - Trânsito e Transportes interditou os pontos alagados.

No bairro Cidade Jardim, a chuva abriu uma cratera de quatro metros de diâmetro no ponto em que passa um córrego canalizado. Duas casas estão ameaçadas. A Defesa Civil interditou o local e monitora a cratera, pois há risco de desabamento. No Jardim Brasilândia o deslizamento de uma encosta atingiu a área urbana. Houve queda de árvores e de placas de publicidade na região norte.

Em Itapeva, cidade da região, a cobertura de um posto de gasolina desabou sobre carros no Jardim Maringá.

O muro de uma escola particular, no Jardim Paulista, caiu sobre quatro carros que estavam estacionados na rua. Ninguém se feriu.

CAMPINAS

A chuva em Campinas teve dois picos: no início da manhã, por volta de 7h15, e no início da tarde, às 13h30. Às 11h, o vento chegou a 70 quilômetros por hora. Segundo informou o coordenador regional da Defesa Civil, Sidnei Furtado, a cidade registrou uma queda de árvore e dois pontos de alagamento até o fim da tarde. Um deles, na Avenida John Boyd Dunlop, causou ao menos 15 minutos de congestionamento pela manhã, por causa do alagamento sob a ponte da Rodovia Anhanguera.

Segundo dados da Defesa Civil, choveu granizo em Americana, Itatiba, Jundiaí e Serra Negra. Jundiaí e Atibaia registraram pane nos sistemas de telefonia, por causa da chuva forte. Em Jundiaí, a Defesa Civil informou registro de ao menos quatro pontos de alagamento, até as 17h de ontem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.