Barretos teme possível aumento da dengue

Barretos é uma das cidades do Estado de São Paulo com maior número de casos de dengue tipo 1 e 2. De janeiro até agora, foram registrados 3.045 casos, sendo apenas 1 do tipo hemorrágico, sem óbito. Na cidade, há 50 agentes trabalhando diariamente em arrastões. Já foram visitados cerca de 20 mil imóveis.A volta do período de chuvas e do calor aumenta a preocupação da prefeitura com o combate à doença. "A maioria da população ainda não se conscientizou do problema e continua oferecendo condições para formação de novos criadouros", lamentou o Coordenador-Geral do Controle de Vetores do município, Olsírio Aníbal. Barretos tem 104 mil habitantes.A cidade não apresentava qualquer caso de dengue desde julho, mas, na última semana, uma nova suspeita colocou todos em alerta. "O município falhou ao não fazer uma prevenção forte e sistemática. Mas a população precisa colaborar", afirmou Olsírio.São José do Rio Preto, com 380 mil habitantes, registrou, apenas neste ano, 6.786 casos dos tipos 1 e 2. Segundo a diretora regional da Sucen, Sirle Scadar, a cidade registrou novos casos de dengue durante todo o ano."Não conseguimos o controle nem mesmo durante a estiagem, e este é um problema que teremos que enfrentar por muito tempo", disse Sirle.De acordo com a diretora, aproximadamente 100 agentes trabalham no controle da doença. Até agora já foram visitadas 46 mil casas, e é necessária a nebulização em 33 mil imóveis."O problema é que em 60% dos locais visitados, uma semana depois os criadouros já estão repostos, por culpa da própria população", disse Sirle.Na região administrativa de São José do Rio Preto, o número de casos chega a 10.253. Nenhum do tipo hemorrágico. A preocupação na região é evitar a entrada da dengue tipo 3, que já foi encontrada no Estado do Rio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.