Base militar em Fernando de Noronha deve ganhar reforço

Suprimentos serão enviados ao arquipélago porque expectativa é que operação de busca seja estendida

Emílio Sant?Anna e Monica Bernardes, O Estadao de S.Paulo

04 de junho de 2009 | 00h00

Três dias depois do desaparecimento do voo da Air France, ontem, os militares brasileiros já trabalhavam com a expectativa de que as operações de busca se estenderão por mais tempo. Com isso, cresce a necessidade de reforçar a estrutura da Força Aérea Brasileira (FAB) em Fernando de Noronha. Ontem, às 16h, um Hércules C130 decolou rumo ao Aeroporto Internacional de Guarulhos em busca de mais equipamentos de infraestrutura para a base avançada. Uma cozinha militar, que utiliza alimentos desidratados, e mais mantimentos também serão enviados ao arquipélago.A base montada em Fernando de Noronha não tem condições de suprir as necessidades logísticas da operação de buscas. Mas ela ganhou mais importância com a localização dos destroços do Airbus. A FAB confirmou que os destroços serão levados a Fernando de Noronha, onde devem passar por uma primeira análise.Caso os corpos sejam localizados, também devem passar por um primeiro processo de triagem na base avançada. O destino seguinte não está definido, mas tudo indica que a Aeronáutica escolha o Recife.Parte da equipe formada por técnicos do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) ainda estava em Natal ontem, aguardando definição. O restante da equipe e técnicos do Instituto Médico-Legal do Recife seguiram para Fernando de Noronha.PLANO DE AÇÃOApós reuniões entre representantes da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco, Polícia Federal e Aeronáutica, foi divulgado ontem o plano de ação para analisar e identificar os corpos no Recife. Entre as ações previstas está a transferência das atividades de rotina do Instituto de Medicina Legal de Pernambuco para hospitais públicos. Foi definido ainda que a força-tarefa - composta por nove especialistas (entre legistas, dentistas e datiloscopistas), sendo 5 da Polícia Federal, vindos de Brasília, e 4 ligados ao governo de Pernambuco - só será enviada a Fernando de Noronha após a confirmação da localização de corpos ou fragmentos. Equipamentos de apoio ao trabalho dos legistas, como câmaras frigoríficas e máquinas fotográficas, serão enviados a partir de hoje para Fernando de Noronha. Ontem, a Polícia Federal começou a recolher, no Rio, material genético de parentes para facilitar a identificação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.