Bases de guardas civis de SP sofrem novos ataques

Apesar de a Secretaria de Segurança Pública afirmar que a situação está sob controle, mais duas bases de guardas civis metropolitanas foram atacadas nesta noite na Grande São Paulo. A primeira delas na zona Sul da Capital, na Capela do Socorro, onde um guarda civil foi baleado na perna. A outra ocorreu em Santo André, no ABC paulista. Pouco antes, naquele município aconteceu um confronto de policiais com assaltantes e dois marginais foram mortos. A agressão pode ter sido em represália à ação policial. Era por volta de 22h00 de segunda-feira quando ocupantes de uma van Sprinter e de um Voyage dispararam rajadas de metralhadora contra a base da GCM na Rua São Caetano do Sul, 81. Houve revide, mas nenhum dos marginais deve ter sido atingido, pois ninguém deu entrada em hospitais da região. Uma bala feriu na perna o guarda civil Orlando Sérgio dos Santos, que teve o fêmur fraturado. Socorrido ao PS do Grajaú ele foi removido ao Hospital do Servidor Público onde será submetido a cirurgia. Além de ferir o GCM, os tiros danificaram o muro, a porta e janelas do prédio da base, além de um veículo particular. Até o final da madrugada, nenhum dos atiradores nem os veículos usados por eles foram localizados.O ataque à base Três Divisas, da Guarda Civil Metropolitana de Santo André, na esquina da Estrada do Oratório com a Av. Presidente Costa e Silva aconteceu pouco antes de meia-noite. Um veículo não identificado passou rapidamente e dele partiram vários tiros contra o prédio. Uma bala atravessou uma das pernas da calça de um guarda civil, sem atingi-lo.Enquanto peritos realizavam seu trabalho no prédio alvejado pelos tiros. Novamente passou um veículo com pessoas atirando, provavelmente para o alto, pois nenhum projetil os atingiu, nem à base da GCM. A agressão foi registrada no 2º DP de Santo André. A suspeita principal é de que os atiradores tivessem agido em represália ao confronto ocorrido algumas horas antes, na Av. Sapopemba, na mesma região. Durante o tiroteio, dois supostos ladrões de autos foram mortos. Um deles foi identificado como sendo Émerson de Matos Oliveira, de 19 anos. O outro não portava documentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.