Basf fará exames de contaminação em funcionários

A empresa de produtos químicos Basf S/A vai submeter seus 205 funcionários a exames médicos para constatar se há entre eles casos de contaminação por resíduos químicos. A indústria ocupa o terreno que abrigava a Shell Química do Brasil, no Recanto dos Pássaros. No início da década passada, a Shell reconheceu, por meio de laudos, a contaminação do terreno da sua antiga fábrica, onde foram manipulados organoclorados entre as décadas de 70 e 80. A Basf anunciou, em nota pública, que optou por realizar os exames porque há desencontro de informações sobre as análises médicas às quais foram submetidas os moradores do bairro. Os exames promovidos pela Shell não constaram contaminação e os pela prefeitura indicaram alto índice de contaminados entre os moradores das 66 chácaras do Recanto dos Pássaros. Os exames nos funcionários da Basf serão produzidos por médicos do país e do exterior, de acordo com o comunicado. A empresa, no entanto, não revelou detalhes sobre as análises nem prazos de quando elas ocorrerão. Para a Basf, devido às "informações contraditórias publicadas pela mídia sobre os resultados preliminares dos exames médicos dos moradores do bairro Recanto dos Pássaros, próximo à fábrica... é de grande importância levantar e esclarecer o maior número de informações sobre a real situação da unidade produtiva de Paulínia e apurar todo e qualquer potencial de exposição à saúde, segurança e meio ambiente", conforme o texto da nota. A Shell vendeu o terreno onde funcionava para a Cyanamid Química em 1995. Cinco anos mais tarde, a Cyanamid o repassou para a Basf. A responsabilidade sobre a contaminação do local antes da venda do terreno cabe à Shell, como foi definido em contrato. A Basf informou ainda que conduz suas atividades com rigor e que não há evidência de contaminação ambiental provocada por sua unidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.