Bastos diz que origem do dinheiro para o dossiê está "praticamente" esclarecida

O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, repetiu nesta sexta-feira, 22, pela manhã que a Polícia Federal está empenhada na identificação da origem do R$ 1,7 milhão encontrado com os acusados de negociar um dossiê contra tucanos, mas não informou nenhuma novidade sobre o caso.Bastos informou que pediu ajuda ao FED, Banco Central americano, para tentar identificar a origem dos dólares. O ministro afirmou que o caso está "praticamente" esclarecido. "Se não fosse o trabalho da PF, de abortar a compra do dossiê, isso teria ficado obscuro", disse o ministro, após participar da cerimônia de encerramento da assembléia da Interpol na zona sul do Rio.Ele reconheceu que identificar as contas de onde foram sacados os reais é simples, mas argumentou que o trabalho já está sendo feito e não será demorado. Segundo o ministro, esse é um "ponto de honra" para a PF, para o governo e para o presidente Lula."Não se pode condicionar uma investigação policial à lógica e ao tempo de uma campanha eleitoral. Não se pode prejudicar uma investigação para obter um efeito eleitoral", disse o ministro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.