Bêbado bate Fusca na frente de batalhão

Um homem embriagado e sem carteira de habilitação perdeu o controle do Fusca que dirigia durante um racha e bateu o veículo em um poste na frente da Base Comunitária da 2ª Companhia do 28º Batalhão da Polícia Militar, na Rua Maria Luísa Americano, Cidade Líder, zona leste de São Paulo. O acidente aconteceu na madrugada de ontem. José Airton da Silva não ficou ferido e foi levado ao 53º Distrito Policial (Parque do Carmo), onde foi preso e indiciado por embriaguez ao volante, dirigir sem habilitação e participar de racha.Silva disse que não participava de racha, mas admitiu estar em uma disputa. "Vinha um carro mais novo na minha frente, ele vinha correndo, ?ele passava eu, eu passava ele?." Ele estava acompanhado por um amigo. O motorista admitiu ter ingerido bebida alcoólica. Primeiro, disse ter tomado uma "cervejinha". Depois, mudou a versão e disse ter tomado vinho durante um churrasco.O próprio acusado afirmou que não possui Carteira Nacional de Habilitação. BAFÔMETROO resultado do teste do bafômetro aplicado em Silva foi de 0,4 mg álcool/litro de ar expelido. Pela lei, quem for pego com até 0,1 mg de álcool/litro de ar expelido não é considerado infrator e acaba liberado. De 0,11 a 0,3 mg, paga-se uma multa de R$ 957,20 e corre-se o risco de ter a carteira de habilitação suspensa por um período de 12 a 24 meses.Acima de 0,3 mg, além de pagar a multa e correr o risco de perder a habilitação, o infrator é levado para a delegacia, responde criminalmente pela infração e pode pegar uma pena que varia de 6 meses a 3 anos de detenção. Nesses casos, a pessoa só é liberada após pagar fiança que varia de R$ 300 a R$ 1.200. No caso de Silva, não pôde ser fixada uma fiança porque ele já tem passagem por um crime anterior (não divulgado) e não soube informar o seu endereço. A Lei 11.705, que prevê penas rigorosas para motoristas embriagados, entrou em vigor em junho de 2008.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.