Bebê brasileiro seqüestrado por colombiana é entregue aos pais

Recém-nascido indígena ficou em poder da colombiana por 30 dias, na cidade de Letícia, na fronteira com País

Efe,

07 de junho de 2008 | 16h50

As autoridades colombianas devolveram para uma índia brasileira, da etnia Ticuna, um bebê que foi seqüestrado por uma colombiana no dia 5 de maio e que acabou resgatado pela Polícia na fronteiriça cidade de Letícia, ao sul da Colômbia, informaram neste sábado, 7, fontes oficiais.   O recém-nascido foi seqüestrado na cidade de Tabatinga, no Amazonas, um dia após seu nascimento e permaneceu em poder da colombiana Edith Del Carmen Tirado, que o seqüestrou por 30 dias.   Os pais do recém-nascido denunciaram seu seqüestro em Tabatinga e 20 dias depois em Letícia. Nesta cidade colombiana, a polícia local iniciou as investigações e encontrou o bebê em poder de Edith, que disse às autoridades que era seu filho e tinha uma certidão de nascimento - que era falsa.   Os testes de DNA, no entanto, indicaram que a criança pertencia à comunidade indígena brasileira, afirmou o comandante da polícia do departamento colombiano do Amazonas, o coronel Héctor Triviño. "Uma vez obtidos os resultados pudemos concluir que efetivamente era o bebê seqüestrado no Brasil", declarou o oficial a jornalistas.   Este é o primeiro caso de seqüestrado de um menor de idade em 2008 no Estado do Amazonas, segundo informações da fundação Fondelibertad.

Tudo o que sabemos sobre:
seqüestroColômbiaAmazonaspolícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.