Bebê nasce na base de resgate das vítimas do acidente da Gol

Em meio à operação de guerra para resgate das vítimas do maior acidente aéreo da história do País, a Base Militar da Serra do Cachimbo viveu um momento mágico de celebração à vida. Às 4h15 do último sábado, nasceu saudável, com pouco mais de 3 quilos, o bebê Fabiano, a bordo de um avião bandeirantes, da Força Aérea Brasileira (FAB), que integra as operações de busca na região.O parto foi realizado pelo major médico Ricardo Aleixo, da equipe que participa da pré-identificação e preparação dos corpos de vítimas do acidente, resgatados na floresta. Acionado para dar socorro de emergência a uma parturiente, Francisca de Souza, o médico percebeu que havia riscos e a levou para um hospital em Cuiabá, onde ela deveria ser submetida a cesariana.O vôo duraria 1h40, mas meia hora depois de o avião decolar, Francisca entrou em trabalho de parto. Mesmo com recursos escassos, Aleixo conseguiu trazer o pequeno Fabiano à Luz, com o uso de toda a perícia e uma boa dose de sorte. O fato emocionou às equipes de busca. "É comovente ver um espetáculo de vida assim em meio a tanta tragédia", disse o major Marcos Maia, coordenador da equipe médica que atua na operação.Francisca ia da área rural de Novo Progresso para ter o bebê em Guarantã quando, nas proximidades da área militar sentiu fortes dores e pediu ajuda aos guardas da guarita. Levada ao posto da Base, os médicos perceberam a gravidade. Apesar de ter apenas 18 anos, Francisca já teve dois filhos antes, todos por cesariana por não ter passagem, o que tornava ainda mais difícil um parto natural. Ela resolveu dar o nome do bebê (Fabiano) em homenagem à FAB.Centro de apoio às operações de busca das vítimas da tragédia com o Boeing 737-800 da Gol, a Base do Cachimbo foi utilizada durante o regime militar como local de testes sigilosos do programa nuclear brasileiro. Fica instalada numa área de 21,6 mil quilômetros quadrados, do tamanho de Israel ou do Estado de Sergipe. A Base é uma das instalações militares mais protegidas do Brasil. É lá onde se encontra retido o jato Legacy, da Embraer, que se chocou com o Boeing da Gol.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.